Um Giro em Território Americano e a Saga ao Passaporte Brasileiro

ds160

Um Giro em Território Americano e a Saga ao Passaporte Brasileiro

take a look at the best free wordpress themes 2017 here

 

Não importa quando, onde, como ou porque motivo se tenha para viajar aos Estados Unidos, o viajante sempre terá que ter o passaporte em mãos com o visto devidamente válido. Mas para isso, uma verdadeira maratona burocrática cuja organização é fundamental precisa ser preparada.

Mas se até para um passageiro experiente tal encargo é difícil, imagina para um transeunte de primeira viagem que precisa começar do zero tirando o passaporte, o visto e traçando uma rota de destino que exija passagem rápida pela terra do Tio Sam. Porém, tudo nessa vida tem solução, e foi pensando nisso que empresas como a Usvisa surgiram, para assessorar e facilitar com segurança os processos que antecedem viagens ao exterior.

Às vezes, uma grande ginástica deverá ser feita apenas para se adequar a pequenas formalidades. Esse é o caso de escalas em território americano, porque a dúvida sempre paira quando diz respeito ao acesso e não permanência no país. Pois saiba que sim, é necessário ter um visto americano para fazer escalas nos Estados Unidos.

As empresas aéreas americanas sempre voam do Brasil para a América e de lá são feitas as conexões com o resto do mundo, por isso a necessidade de escalasem permanecer em solo americano. O procedimento para tiraro visto será o mesmo de quem procura estadia com direito a burocracias, entrevistas, pagamento de taxas e etc. Porém a falta de tempo ou simples distração ao fato podem fazer com que o viajante se esqueça disso e nada melhor do que uma consultoria adequada e competente para alertá-lo na explicação dos processos para que tudo saia certo. Por esse motivo a Usvisa participa de todo o planejamento da viagem, buscando com o viajante os melhores recursos para chegar ao destino pretendido com qualidade sem atrasos e imprevistos.

Uma vez em solo americano, o passageiro é obrigado a realizar imigração e alfândega no aeroporto de trânsito sem distinção com outros viajantes que permanecerão no país. Existe um visto para trânsito, mas não é inteligente solicitá-lo, porque o nível de dificuldade para consegui-lo é o mesmo que os outros de maior duração. Sem o visto americano o passageiro nem entra no avião, pois todas as companhias aéreas são obrigadas a checar se o viajante tem um visto válido.

Porém, antes mesmo do visto, o passaporte precisa ser providenciado como primeiro recurso não só para uma, mas como documento de identificação legal do transeunte em qualquer viajem para o exterior, com exceção aos países do Mercosul,desde que ele possua uma cédula de identidade com menos dez anos de existência. O passaporte brasileiro não pode ser renovadoou prorrogado, em caso de expiração, entre cinco e dez anos, deverá ser providenciado outro.

São essas e muitas outras as regras que definem se o viajante irá ou não realizar uma viagem bem sucedida. Estar atento aos pormenores é essencial e toda ajuda possível não será dispensável, assim a Usvisa pretende assessorá-lo nas entrelinhas, para que itens insignificantes em fichas de inscrição não criem barreiras gigantescas entre o passageiro e a viagem dos sonhos.